Buscar
  • BeBold

Indústria dos games fatura mais que a do cinema e da música e, sim, é para os adultos também!

O número expressivo conquistado a cada ano pela indústria dos games não está ligado exclusivamente à venda dos jogos. Em cada game, o jogador tem a possibilidade de turbinar o seu personagem com roupas novas e armas altamente potentes. E isso potencializa ainda mais os resultados do segmento.

Por Lucas Chiquetto


Para as pessoas que ainda acham que videogame é coisa de criança, sinto lhes informar que essa ideia já faz parte do passado e a mudança de opinião seria um bom caminho. Videogame também é coisa para adulto, sim!


Você sabia que a indústria dos games fatura, anualmente, mais que a do cinema e da música juntos? Pois é! Segundo dados do site Mundo Estranho, a indústria dos games faturou, só em 2016, mais de US$91 bilhões em todo o mundo, enquanto o mercado do cinema faturou US$38 bilhões, e, por fim, a da música, com US$15 bilhões de dólares.


São números para ficar surpreso, não é mesmo? Só no Brasil, no ano passado, os jogos online movimentaram mais de R$4,9 bilhões, liderando o ranking na América Latina. Está impressionado? Calma que ainda tem mais.


No ano passado, a ESA (Entertainment Software Association) divulgou um relatório com informações importantes de vendas, demografia e também dados de uso dos Estados Unidos, onde 64% dos lares norte-americanos possuem um dispositivo que eles usam para jogar videogame. E a idade média dos jogadores é, pasmem, de 34 anos, sendo que 70% têm mais de 18 anos. Um dado muito curioso é que as mulheres acima de 18 anos representam 33% da população que joga.


Separando esse público em grupos, a pesquisa traz a seguinte informação: para o gamers masculinos, 17% tem abaixo de 18 anos, já as pessoas de 18-35 representam 16%. De 36-49 correspondem a 12% e, por fim, temos pessoas acima de 50 anos que também adoram jogar videogame e representam 11%.


Já para o público feminino, os números são: abaixo de 18 anos representam 11%, de 18-35 representam 16%, de 36-49 são 12% e acima de 50 correspondem a 11%.


Além disso, segundo a pesquisa, 70% dos pais acreditam que os videogames criam uma influência positiva na vida de seus filhos; 90% dos pais estão presentes quando seu filho adquire um videogame e 94% prestam atenção aos games jogados pelo seus filhos.

O relatório também mostrou que a idade média das pessoas que compram games é de 36 anos, sendo que 61% são homens e 39% mulheres.


Outro dado interessante é em relação aos dispositivos que são utilizados para o divertimento dos jogadores: 41% optaram pelo computador, 36% pelo smartphone, 36% pelos consoles (PlayStation, Xbox, Switch entre outros), 24% dispositivos, como tablets; 14% consoles de videogame de menor porte e, por fim, 8% realidade virtual.

Assistir a filmes e prestar atenção em cada detalhe da tela, tentar entender a visão do diretor e a atitude em cena dos atores, além de ser surpreendido por uma boa história é, simplesmente, fascinante. Faz parte da minha vida desde muito cedo. Mas jogar games também. Hoje em dia, você tem tudo o que é possível encontrar em filmes nos games. Sim, estou falando de um jogo onde você encontra história, diretor, ator (ator? Sim, muitos dos games da nova geração utilizaram captação de imagens para simular, com muita realidade, cada movimento levado para os games) e gráficos de tirar o fôlego. E é aqui que entra um ponto chave: interação. Você está no controle da situação e é protagonista por cada conquista e superação de desafios dentro do jogo. A sensação de poder controlar um personagem é indescritível. Você pode ser uma pessoa que, talvez, jamais seria na vida real, como um arqueólogo, um herói, um bandido, um piloto, um lutador ou um jogador de futebol, como o Neymar, por exemplo. Você escolhe o jogo e quem vai ser no mundo virtual. Ah, e tudo isso é possível de acontecer conectado às pessoas ao redor do mundo. Com uma boa conexão de internet, não há limites para o divertimento no mundo dos games.


Para que cada jogo seja lançado, uma equipe de multitalentos precisa dedicar horas e mais horas planejando, escrevendo, criando, testando e, por fim, divulgando anos de trabalho aos seus clientes finais: os gamers que estão no mundo e que não tem mais restrição de idade.


Para muitas pessoas, o número expressivo conquistado a cada ano pela indústria dos games está ligado diretamente à venda dos jogos. Mas não é só isso. Em cada game, o jogador tem a possibilidade de turbinar o seu personagem com roupas novas e armas altamente potentes. Na PSN - PlayStation Network, por exemplo, você pode comprar itens disponíveis para aquele título que você adquiriu, entre elas roupas, armas, artefatos, que poderão te ajudar durante as fases, entre outros. E tem tantos acessórios legais para comprar que resistir é quase impossível.


Não se pode duvidar do poder da indústria bilionária, que não para de faturar, e de seus jogadores, que crescem ao redor do mundo.


Nunca vai deixar de existir games para as crianças, mas jamais faltarão jogos para os adultos, que, sim, são os maiores consumidores dessa fábrica divertida de fazer dinheiro.

0 visualização